Medos e Fobias da Infância



Medos e Fobias da Infância

Inicialmente é importante salientar que existe a diferença entre medo e fobia, ainda que muitas vezes haja uma confusão entre ambos.O medo é uma reacção ansiosa face a situações de perigo, é uma emoção normal e que todo ser humano sente em dada altura da vida.

Cerca de 50% das crianças sentem algum tipo de temor, sendo que em especial as meninas são as que mais se ressentem, comparado aos meninos. Isso não significa que os meninos não sejam afectados também. Os meninos também sentem, embora sejam mais reservados quanto a expressa-los claramente aos pais.O medo é uma emoção saudável, visto que aparece quando nos sentimos em perigo, isso aumenta nosso potencial de sobrevivência, sem o medo seria difícil perpetuar a espécie humana, sendo que sem ele nos atiraríamos com frequência em situações caóticas.

Referindo-se a fobia, esta é um medo patológico, especifico, intenso e desencadeado por uma situação que normalmente não apresentaria qualquer perigo. Há inúmeras fobias, como medo de aranhas, alturas, agua, lugares fechados, etc.A vida de um fóbico é complicada, pois por vezes a fobia que ele tem passa a se tornar um sério empecilho para que ele possa ter uma vida normal.

Ao longo de nossa infância, surgem medos variados, e a medida em que vamos crescendo e amadurecendo a nível cognitivo e neurológico, estes medos tendem a desaparecer. O problema é quando alguns destes medos, se tornam em fobias, o que poderá abalar o crescimento saudável da criança, abalando sua auto confiança, auto estima, etc.Na escola a criança se sentirá insegura, tornando-se mais frágeis, pela constante angustia que sentem, quer seja pela ausência dos pais, ou alguma prova, ou apresentação de trabalhos para os colegas.

É essencial que os pais prestem atenção em seu filhos, e aprendam principalmente a ouvi-los, a ter um diálogo frequente em casa. Educadores também tem papel importante na identificação das fobias, já que por vezes em casa elas podem não se manifestar com tanta frequência por estarem na segurança do lar. Assim sendo em conjunto com os pais, os educadores poderão encontrar soluções para o caso da criança afectada pela fobia.

Respeite os medos do seu filho.

Não subestime os sentimentos e medos do seu filho, aprenda a aceita-los de uma forma natural, encarando como uma fase natural de crescimento, conseguindo assim assegurar um crescimento sadio ao seu filho. Não alimente medos infundados, não ameace seu filho com frases do género: ‘ Se não te portares bem, a bruxa virá pegar-te', este tipo de atitude poderá gerar medos intensos, que poderão se tornar em fobias no futuro.Lembre-se sempre, seja exemplo de boa educação, muitos medos são adquiridos pela má educação dada em casa.

Medos mais comuns segundo as idades:

0/6 Meses

Perda da figura de referencia (Mãe)

Medo de barulhos Intensos

7/12 Meses

Medo de Pessoas Estranhas

Imprevistos e Barulhos Intensos

1º Ano de Vida

Estar longe dos pais

Pessoas Estranhas

2º Ano de Vida

Barulhos

Animais

Escuro

3º e 4º Ano de Vida

Escuro

Animais

Estar longe dos pais

5º Ano de Vida

Animais

Pessoas Más

Dor Fisica

6º Ano de Vida

Bruxas e Monstros

Tempestades

Ficar Sozinho

Dormir no Escuro

7º e 8º Ano de Vida

Seres Sobrenaturais

Escuro

Ficar Sozinho

Filmes

Dor física

9º ao 12º Ano de Vida

Exames Escolares

Professores

Reprovações

Ser gordo

Ser diferente dos colegas

Morte

Separação dos Pais

12º ao 18º Ano de Vida

Perda da Auto-Estima

Aparência física, ser feio, magro, gordo...

Medo de Errar

Medo de ser rejeitado
Enviar um comentário