Alienados ou psicoticos





Alienados ou psicoticos


Paixões alucinantes habitualmente referindo-se a um romantismo imaginado e a união espiritual, mais do que o desejo sexual . Acreditam, necessariamente, ser retribuídos por individualidade do sexo contrário ou não e visionam-nos como ídolos, vedetas, como se fossem duma superioridade tal, que ninguém consegue suplanta-los, é na realidade uma visão de fascínio a todo sentido, inclusive pode tratar-se de alguém de enorme simplicidade porém a sua visão sobressai uma enormidade de excelência ideal em amor..
Grandeza, neste estereotipo de Transtorno o Ser é persuadida, pela sua alucinação, mas chamaria alienação mental, pois a envolvência espiritual vampirizadora se faz crescente nestas situações. Toma-se como se de outra personagem estivesse ali, como se fosse de outra Familia ou mesmo atirada para meios que nada tem com o comportamento da árvore genealógica do próprio. Vai ao encontro dum parentesco inexistente ou mesmo ligar-se, isto no halo mental a personalidades de outra esfera social., mostra-se como detentor de fortuna e julga-se ter dons especiais ou mesmo ser um Deus.
O Ciúme, sentimento por si só deletério de o equilíbrio e harmonização mental, pois por si só , projeta radiações de bloqueio, de lucidez, tudo porque , um companheiro neste estado, vê em tudo infidelidade do conjugue.
Na rua , no emprego, um sinal sonoro , um cumprimento dum vizinho, a personificação vincada de infidelidade esta sempre presente , em tudo que visiona, mexe, toca, sente, digamos uma autoflagelação constante de que é enganado, quando na realidade , de nada se trata. Esta alienação mental tem trazido muito assassínio e mesmo suicídios, torna-se importante estimular as energias vibradoras positivas, de forma a que este consiga ligar a sequência registada em sua mente, pois o estado obsessivo é tal que o torna mesmo inoportuno, em tudo que faz
Tudo no seu processo vivente com o Ser que entende pertencer-lhe, é feito com tiranismo e violência muitas das vezes.
O sentimento perseguidor o mais comum entre estados delirantes crónicos , é a vitima por natureza, seja de, traição, vigilância, perseguição, envenenamento ou mesmo achar rotulado em exegese maliciosa.
A psicopatia tem no espiritismo um diferente trato pelo conhecimento de técnicas , que podem diminuir, o circulo de conflito interno, porque na realidade é o que na senda do consciente e subconsciente que tudo se projeta , pela ideoplastia pelo campo mental vibratório e sensorial, do qual o psicótico, detêm influencias extra físicas, que são alienações provocadas pelos halos subsequentes em sua enfermidade , mas que não são mais que reflexo de suas fragilidades e de ocorrências pretéritas de excessos desmedidos, com influenciarão multi-obsessiva, seja auto-obsessão, como subjugação, da qual o Ser em queda faz sobressair de sua cronologia perispíritual, porque não tenham duvidas , o sentimento relacional, social e parental, nestes irmãos será sempre aleatório , tudo porque a provação compulsiva, gera sempre no interior de seus aprendizes de amor e respeito, uma força , da qual eles tem que se debater, sabendo valorizar-se , vendo nos outros uma realidade que tinha sido desviada noutras vivencias.
A fluidoterapia , será sempre muito pouco na terapia, o trabalho de recuperação mental, quer da sua auto-estima, quer do aprendizado de se reconhecer enganado em si mesmo, depende sempre de uma doutrinação profunda, prolongada, sentida e sempre sensibilizante , não tomando por verniz o que deve ser tomado por apenas consequência causal de um efeito regenerador do psicótico.
Em tudo a palavra essência será amor, paciência, perseverança, indulgência e claro renuncia.
A medicina psico-física apoiada pela terapia espiritual, podem gerar excelentes resultados, mas tem que haver sintonia de vontades e convergência de valores equilibradores, para que tudo se processe e detenha um final, mais ou menos feliz, porque não podemos esquecer o campo meritório, o resgatar e o elo de mudança de conduta, pois são fármacos muito importantes em problemas do psiquismo humano, da qual o orai e vigiai faz sempre também sedativo e bálsamo de ionização mental.

Victor Passos
Enviar um comentário