Portador de deficiência auditiva





AS RECOMENDAÇÕES PARA MELHOR COMUNICAÇÃO COM O PORTADOR DE DEFICIÊNCIA AUDITIVA, SEJA POR SURDEZ TOTAL OU PARCIAL, INCLUEM FALAR CLARAMENTE, PRONUNCIANDO BEM CADA PALAVRA, MAS SEM EXAGERAR. FALAR EM RITMO NORMAL, SALVO QUANDO FOR SOLICITADO POR ELA A SE EXPRESSAR MAIS DE VAGAR.
CUIDAR PARA QUE A PESSOA SURDA PERCEBA OS MOVIMENTOS LABIAIS DE QUEM ESTÁ LHE FALANDO. FALAR COM O TOM NORMAL DE VOZ, A NÃO SER QUE A PESSOA COM DEFICIÊNCIA PEÇA PARA LEVANTAR A VOZ. GRITAR NUNCA ADIANTA. COMO OS SURDOS NÃO PODEM OUVIR AS MUDANÇAS SUTIS NO TOM DE VOZ DO SEU INTERLOCUTOR, INDICANDO SARCASMO OU SERIEDADE, A MAIORIA DELES FARÁ A LEITURA DAS EXPRESSÕES FACIAIS; DOS GESTOS OU MOVIMENTOS DO CORPO PARA ENTENDER O QUE SE QUER COMUNICAR A ELE. FALANDO A UMA PESSOA SURDA, É PRECISO CHAMAR A SUA ATENÇÃO, SEJA SINALIZANDO COM A MÃO OU TOCANDO SEU BRAÇO. ENQUANTO ESTIVEREM CONVERSANDO, DEVE-SE MANTER CONTACTO VISUAL, POIS O SIMPLES DESVIAR DO OLHAR PODE DAR A ENTENDER AO SURDO QUE A CONVERSA JÁ TERMINOU. A SINALIZAÇÃO DO VEICULO (SETA, PISCA-PISCA, ALERTA, LUZES...) É DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA PARA A ORIENTAÇÃO E SEGURANÇA DO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA AUDITIVA; A COMUNICAÇÃO VISUAL ATRAVÉS DAS PLACAS DE SINALIZAÇÃO E DOS SEMÁFOROS É A PRINCIPAL FONTE DE INFORMAÇÃO PARA O SURDO ORIENTAR SE NO TRÂNSITO. FONTE DE PESQUISA LIVROS
Enviar um comentário