BRAILLE


Braille

VAI PARA 200 ANOS QUE LOUIS BRAILLE INVENTOU ESSA FERRAMENTA EXTRAORDINÁRIA QUE FOI, PARA OS CEGOS, O ALFABETO QUE FICOU COM O SEU NOME, E QUE LHES PERMITIU SAIR DO GUETO EM QUE SEMPRE TINHAM VIVIDO: MENDIGANDO, TOCANDO E CANTANDO, ROUBANDO, FAZENDO FEITIÇOS E INDO, UMA VEZ POR OUTRA, PARAR ÀS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO CATÓLICA E DAS WITCH HUNTS PROTESTANTES. LUÍS IX, REI DE FRANÇA ENTRE 1226 E 1270, PARTICIPANTE ATIVO DA 7ª E 8ª CRUZADAS, FULMINADO PELA FEBRE, PELA PESTE OU PELA DISENTERIA QUANDO SE PREPARAVA PARA ENTRAR EM TUNIS E CANONIZADO EM 1297, REGRESSOU DERROTADO DA 7ª CRUZADA CONVENCIDO DE QUE DEUS LHE QUERIA DAR UMA LIÇÃO DE HUMILDADE. VIRANDO-SE PARA A CARIDADE, FUNDOU O HOSPITAL QUINZE-VINGTS - QUINZE VINTES, OU SEJA, 15 X 20 = 300, O NÚMERO DE CAVALEIROS QUE TINHAM FICADO CEGOS DURANTE A CRUZADA. FOI O PRIMEIRO HOSPÍCIO PARA CEGOS DE QUE HÁ MEMÓRIA. MUITOS ANOS MAIS TARDE, EM 1771, UM TAL VALENTIN HAÜY VISITOU A FEIRA PARISIENSE DE STO. OVÍDIO, UMA ESPÉCIE DE FEIRA POPULAR DA ÉPOCA, E ASSISTIU A UM ESPETÁCULO DE CEGOS QUE ACHOU DEGRADANTE E O CONVENCEU DE QUE A ÚNICA FORMA DE OS TIRAR DA SITUAÇÃO SOCIAL EM QUE SE ENCONTRAVAM ERA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO. A EDUCAÇÃO ERA O LEITMOTIV DO SÉCULO XVIII, CLARO, MAS... COMO LEVAR AS LUZES ÀQUELES QUE NÃO AS VÊEM? HAÜY COMEÇOU POR ESTUDAR AS FORMAS COMO OS CEGOS SE DESENVENCILHAVAM NA VIDA E, EM 1784, DEU ESMOLA A UM CEGO DE 12 ANOS QUE RECONHECEU LOGO O VALOR FACIAL DA MOEDA. FOI A REVELAÇÃO: O SEGREDO ESTAVA NO DESENVOLVIMENTO DO TATO. O MIÚDO, FRANÇOIS LESUEUR, TORNOU-SE O PRIMEIRO ALUNO DE HAÜY, QUE FUNDOU, NA RUA ST. VICTOR, O REAL INSTITUTO PARA AS CRIANÇAS CEGAS.

A 4 DE JANEIRO DE 1809 NASCIA EM COUPVRAY, FRANÇA, UM TAL LOUIS BRAILLE, FILHO DE UM SELEIRO. AOS 3 ANOS, AO MANIPULAR UMA DAS FERRAMENTAS DO PAI, CEGOU UM OLHO, A INFECÇÃO ALASTROU AO OUTRO E O JOVEM FICOU COMPLETAMENTE CEGO. AOS 10 ANOS, BRAILLE É ADMITIDO NO INSTITUTO DE HAÜY, ONDE APRENDE O SISTEMA DE LETRAS DE IMPRENSA EM ALTO-RELEVO DESENVOLVIDO PELO FUNDADOR. O JOVEM CONSIDERA O SISTEMA DESADEQUADO, APESAR DE BEM-INTENCIONADO.

NO DECORRER DE UM ENCONTRO SOBRE MÉTODOS DE COMUNICAÇÃO NO MUSEU DA CIÊNCIA E DA INDÚSTRIA, OS CEGOS DO INSTITUTO OUVEM FALAR DE UM TAL CHARLES BARBIER DA LA SERRE, ESPECIALISTA EM CRIPTOGRAFIA, VETERANO DAS REVOLUÇÕES FRANCESA E AMERICANA, E DAS GUERRAS NAPOLEÔNICAS. NO DECORRER DESTAS ÚLTIMAS, TINHA VISTO UM GRUPO DE ARTILHEIROS SER DESPEDAÇADO POR UM OBUS DURANTE A NOITE, POR TER ACENDIDO UMA LUZ PARA LER UMA MENSAGEM. BARBIER DESENVOLVEU ENTÃO UM SISTEMA TÁCTIL PARA RECEPÇÃO E ENVIO DE MENSAGENS ENTRE OS ARTILHEIROS - A SONOGRAFIA -, INVENTANDO UM APARELHO QUE LHES PERMITIA ESCREVÊ-LAS NO ESCURO. BRAILLE FICA FASCINADO COM O INVENTO DE BARBIER, A CÉLULA DE 12 PONTOS, APESAR DE LHE ENCONTRAR DOIS DEFEITOS: SER DEMASIADO EXTENSA PARA A POLPA DE UM DEDO E REPRESENTAR SONS EM VEZ DE LETRAS. EM OUTUBRO DE 1824, COM 15 ANOS, APRESENTA O SEU PRÓPRIO APERFEIÇOAMENTO. TINHA REDUZIDO O "DOMINÓ" DE 12 PONTOS DE BARBIER PARA UM "MEIO-DOMINÓ" DE SEIS PONTOS, COM 63 POSSIBILIDADES COMBINATÓRIAS. NÃO-OBSTANTE O ENTUSIASMO DOS CEGOS, CONTUDO, O INVENTO VEIO CRIAR CELEUMA ENTRE OS PROFESSORES DO INSTITUTO, QUE NÃO ERAM CEGOS E O SENTIRAM COMO UMA AMEAÇA AOS SEUS "TACHOS" E CARREIRAS. QUEIXARAM-SE DE QUE O BARULHO QUE OS ALUNOS FAZIAM A ESCREVER COM O NOVO SISTEMA GERAVA INDISCIPLINA. AOS 17 ANOS, CONTUDO, BRAILLE TORNOU-SE O PRIMEIRO PROFESSOR CEGO DA ESCOLA: ÁLGEBRA, GRAMÁTICA, MÚSICA E GEOGRAFIA. EM 1828, ADAPTOU O SEU SISTEMA À NOTAÇÃO MUSICAL. EM 1829, BRAILLE TEM 20 ANOS E APRESENTA-SE À INSPEÇÃO MILITAR. FICA "LIVRE", SEGUNDO OS INSPETORES MILITARES, POR "NÃO PODER LER NEM ESCREVER". É ASSIM, IRONICAMENTE, QUE O HOMEM QUE INVENTOU NA ADOLESCÊNCIA A FORMA DE OS CEGOS LEREM E ESCREVEREM FICA "CATALOGADO" PELA PEDAGOGIA DE CASERNA DA ARMÉE FRANÇAISE! TUBERCULOSO E GENEROSO AO PONTO DE SE PRIVAR AMIÚDE A FAVOR DOS OUTROS, OS TEMPOS DIFÍCEIS EM QUE VIVEU E AS INÚMERAS DIFICULDADES, INVEJAS E OBSTÁCULOS QUE O SEU INVENTO CONHECEU ACABARIAM POR MATÁ-LO AOS 43 ANOS DE IDADE, A 6 DE JANEIRO DE 1852. TODA A IMPRENSA PARISIENSE IGNOROU A SUA MORTE, E SÓ EM 1854 É QUE O ESTADO FRANCÊS ADOTARIA O BRAILLE COMO FORMA DE COMUNICAÇÃO OFICIAL PARA OS CEGOS. MAS AINDA DEMORARIA MUITO A SER RECONHECIDO EM PAÍSES COMO A AMÉRICA, A SUÍÇA, A INGLATERRA, PELA SUA OPACIDADE PARA OS QUE NÃO SÃO CEGOS. OS PODERES E FUNCIONÁRIOS INSTALADOS NA EDUCAÇÃO TARDARAM A COMPREENDER QUE OS CEGOS QUEREM LER PORQUE QUEREM APRENDER E QUEREM ESCREVER PORQUE TÊM COISAS A DIZER. POR TEREM UMA ESCRITA ILEGÍVEL PARA OS VISUAIS, PARECIAM SURGIR COMO UMA AMEAÇA, E OS SEUS TEXTOS COMO UMA SINISTRA E SUBVERSIVA CRIPTOGRAFIA. NUM SÉCULO COMO O XIX, EM QUE OS REVOLUCIONÁRIOS E NIILISTAS ATERRORIZAVAM AS CASAS REAIS E OS GOVERNOS, A IDÉIA DE QUE OS CEGOS PUDESSEM QUERER DOMINAR O MUNDO COMUNICANDO ENTRE SI POR MEIO DE UMA ESCRITA INCOMPREENSÍVEL PODE NÃO SER TÃO RIDÍCULA COMO PARECE. E NINGUÉM SE LEMBROU DE QUE, COM AS SUAS BENGALAS, PUDESSEM TER ANTECIPADO O TELÉGRAFO!

TEXTO: E. LEÃO MAIA;
AGRADECIMENTOS: BIBLIOTECA NACIONAL DE LISBOA

CUIDADO COM AS APARÊNCIAS

A LITERATURA "DE AUTOR" COMEÇA COM UM CEGO, HOMERO, SUPOSTO PAI DA ILÍADA E DA ODISSÉIA, E HÁ QUEM ACHE QUE ACABA COM OUTRO, O ARGENTINO JORGE LUÍS BORGES. PELO MEIO, PASSARAM NOMES COMO DÍDIMO DE ALEXANDRIA (SÉC. IV), BALTASAR DIAS, LUÍS DE CAMÕES (QUE ERA SÓ ZAROLHO), JOHN MILTON, ANTÔNIO FELICIANO DE CASTILHO (QUE RECOMENDAVA EM 1844, AO ADMINISTRADOR DA ILUMINAÇÃO E LIMPEZA DA CML, QUE DEIXASSE O LUAR PARA OS POETAS E TRATASSE MAS ERA DE ACENDER A HORAS OS CANDEEIROS NOS LUGARES MAIS DESVANTAJOSOS DE LISBOA), ALDOUS HUXLEY, QUE ERA QUASE CEGO, ETC.. EM HERÓIS E TÚMULOS, ERNESTO SÁBATO FALA-NOS DE UMA CONSPIRAÇÃO DOS CEGOS PARA DOMINAR O MUNDO (DIZ-SE QUE OS DE BUENOS AIRES SÃO EXTRAORDINARIAMENTE ARROGANTES E MALCRIADOS, CHEGANDO A AGREDIR À BENGALADA QUEM NÃO LHES DÁ CHORUDAS ESMOLAS)! A PSICANÁLISE TEM O SEU IMAGO PATERNO NUMA FIGURA MÍTICA QUE VAZOU OS OLHOS, ÉDIPO. NA MÚSICA, STEVIE WONDER, RAY CHARLES, JOSÉ FELICIANO, ANDREA BOCELLI, SOBRA-LHES EM OUTPUT MUSICAL O QUE LHES FALTA EM INPUT VISUAL. E DIZ-SE QUE, COMO COM BEETHOVEN, QUE ERA MÚSICO E ACABOU SURDO, QUIS A DIVINA PROVIDÊNCIA (!) QUE REMBRANDT, UM DOS MAIORES PINTORES DE SEMPRE, ACABASSE CEGO. NA PÓVOA DO VARZIM HÁ A HISTÓRIA DO CEGO DO MAIO, UM TAL JOSÉ RODRIGUES MAIO, QUE SALVOU NÁUFRAGOS NO SÉCULO XIX E TEVE DIREITO A ESTÁTUA EM 1909. E AINDA HÁ A HISTÓRIA DO CEGO DA "FEIRA DA PONTE", EM PONTE DE SÔR, QUE DEVIA TOCAR PIOR QUE O QUE CANTAVA E FICOU COMO EPÍTETO PARA QUALQUER CEGO QUE DESAFINE. VEM DEPOIS UM TAL "SIMÃO, ANACORETA, CEGUINHO QUE NUNCA VIU", QUE TERÁ FEITO O DOCE JESUS HIMSELF PERDER AS ESTRIBEIRAS E MANDÁ-LO IR "TOCAR CORNETA PARA A P... QUE O PARIU!", MAS ERA ANEDOTA. MAOMÉ COMPARAVA OS DESCRENTES AOS CEGOS, E TERÁ FICADO INCOMODADO AO SER INTERPELADO POR UM QUANDO TENTAVA CONVERTER OS CORAIXITAS, O QUE LHE VALEU UMA LIÇÃO DE ALÁ SOBRE OS PERIGOS DE AVALIAR AS PESSOAS PELAS APARÊNCIAS (CORÃO, LXXX). O MESMO FEZ CRISTO EM MATEUS, XV, 14 ("SÃO CEGOS A CONDUZIR OUTROS CEGOS"), MAS CURA-OS EM IMENSAS SITUAÇÕES, NUMA ÉPOCA EM QUE A CEGUEIRA ERA VISTA COMO O CASTIGO POR UM PECADO: "RABI, QUEM FOI QUE PECOU PARA ESTE HOMEM TER NASCIDO CEGO? ELE OU OS SEUS PAIS?" (JOÃO, IX, 2). A PARÁBOLA DOS TRÊS CEGOS E DAS SUAS TRÊS IDÉIAS DO ELEFANTE, CONFORME LHE SENTIAM A TROMBA, OS FLANCOS OU AS PATAS, É ACADÊMICA NO BUDISMO, E, PARA ACABARMOS ONDE COMEÇAMOS, ULISSES SÓ CONSEGUIU NÃO SER DEVORADO VIVO E LEVAR A BOM TERMO A SUA ODISSÉIA DEPOIS DE VAZAR O ÚNICO OLHO AO CICLOPE POLIFEMO.

Enviar um comentário