O TRANSTORNO BIPOLAR NA VISÃO ESPÍRITA



            O TRANSTORNO BIPOLAR é uma doença funcional do cérebro relacionada aos neurotransmissores cerebrais, que provoca oscilações imprevisíveis do humor, que vai da depressão aos estados mais elevados, chamados de hipomania ou mania.
            Afetando em torno de 1% da população, distribuído igualmente entre homens e mulheres, o TB (transtorno bipolar) permanece como crônico em 1/3 dos acometidos, perdurando por toda vida. Surge geralmente na terceira década de vida e os sintomas depressivos predominam na maior parte do tempo.
            Conquanto receba o nome de transtorno bipolar do humor, ele tem subespécies onde só se manifesta a mania ou a depressão ou estados mistos de mania e depressão, em que predomina a irritabilidade. Comumente, quando se apresenta com o predomínio dos sintomas depressivos é mal diagnosticado como depressão maior e tratado erroneamente com antidepressivos somente, o que piora o quadro.
            Por isso, o diagnóstico deve ser feito por profissional qualificado, após exame clínico acurado e colhida história detalhada da enfermidade e sua evolução. Sabe-se que o transtorno funcional dos neurotransmissores como noradrenalina, serotonina e dopamina desempenham papel fundamental na doença, e estudos mostram uma base genética também, pois incide mais frequentemente em algumas famílias. Conquanto existam os fatores predisponentes, há também as situações desencadeantes, geralmente associadas ao estresse ambiental ou uso e abuso de substâncias psicotrópicas, legais e ilegais.
            Pelo que você pode observar, até agora analisamos apenas os fatores biológicos e ambientais, ficando uma lacuna nos aspectos psíquicos e espirituais. Há fatores intrapsíquicos, como a estrutura de personalidade, que joga como um fator de facilitação para a emersão do estado patológico. Aqui, de igual forma, torna-se impossível separar os fatores espirituais, cármicos, dos fatores psíquicos, pois ambos procedem de uma mesma fonte, qual seja, o espírito imortal.
            Torna-se vital avaliarmos o papel que desempenha o cérebro e o corpo físico como um todo no processo da evolução espiritual. O cérebro e o sistema endócrino-humoral é um grande sistema cibernético ou computadorizado, de natureza analógica e não digital, isto é, responde às gradações de forma gradual e não pelo tudo ou nada. Isto faculta ao cérebro ser um meio modulador dos impulsos mentais advindos do espírito, atenuando-os ou potencializando-os, conforme as necessidades adaptativas ou educativas da interação espírito- matéria.
            Em assim sendo, as tendências patológicas agem como um alarme, fazendo o espírito auto-modular-se nas tendências e paixões. É a própria Lei de Causa e Efeito a serviço da educação, finalidade maior de sua existência no grande plano pedagógico de Deus.
            À guisa de metáfora, seria como um mau motorista que, notório abusador dos recursos do veículo, desgastando-o prematuramente no descontrole da velocidade e nas frenagens, arriscando-se e levando riscos aos outros, recebesse como parte do seu processo reeducativo um veículo com deficiência nos freios, obrigando-o a restringir a velocidade e a utilizar marchas adequadas, de modo a lhe permitir o devido controle no direcionamento veicular.
            Assim podemos melhor compreender a injunção cármica dos transtornos mentais como um todo, que servem de recursos retificadores dos trânsfugas espirituais que, destarte, corrigem em si mesmos os desvios das paixões alucinantes, do suicídio direto e indireto, dos abusos da inteligência e de outras formas de viciação e alienação do espírito.
            No âmbito do tratamento, embora a própria enfermidade seja em si mesma uma forma de cura da causa original do problema, a providência divina concedeu à medicina humana os meios paliativos e mesmo efetivos de controlar, digamos, o descontrole. No caso do transtorno bipolar temos uma imensa gama de substâncias chamadas de estabilizadores do humor que se utilizam no tratamento de crise e no de longo prazo desta devastadora doença.
            Sob o ponto de vista espiritual, strictu sensu, a reforma íntima, a vigilância e a oração, o propósito no bem, as ações beneficentes constituem-se na melhor profilaxia e tratamento. Não raro, os portadores de TB trazem um séquito de cobradores do passado que podem vir a ser soezes obsessores, complicando um quadro já em si complexo e difícil. O transtorno bipolar do humor parece ser um facilitador da manifestação de faculdades mediúnicas, o que junto às afinidades espirituais do passado e os seus compromissos, vulnerabilizam sobremaneira o enfermo, que se torna assim presa fácil de múltiplos fatores alienantes.
            É desnecessário dizer que a utilização da terapêutica espírita é de grande valia, se acompanhada do devido esforço regenerativo por parte do doente. A doença em si é um grande processo de cura, dentro da qual se insere a abordagem espírita, a funcionar como psicoterapia cognitiva e, ao utilizar os recursos fluídicos e ectoplásmicos, como recurso relevante na cura quântica do desequilíbrio, mas sempre secundariamente à adequada abordagem médica.





Dr. Luiz Paiva  -  SITE:  MEDICINA ESPIRITUAL


10/06/12
Além de tudo que foi dito, gostaria de adicionar que o Transtorno Bipolar é uma fuga da realidade. Isto é, o espírito não aceita muito bem as provações e exercícios a que foi chamado na atual encarnação e fica tentando fugir das obrigações. Diria até que a essência da "doença' consiste basicamente nisto.
 
Na media que o espírito começa a aceitar as provações, a situação vai melhorando. As provações, na maioria dos casos não passam de obrigações rotineiras como ter família, criar e educar os filhos, ter fidelidade para com o companheiro e assim por diante. 
 
Para os espíritos pouco afeitos à disciplina e ao cumprimento das obrigações normais,  a vida cotidiana pode parecer uma grande provação. Não raro tentam sair da vida pelas portas dos fundos, na tentatia de ficarem livres das obrigações que a vidas lhes está impondo. E quando isto acontece, naturalmente que a situação fica muito pior. 
 
O conhecimento da Lei de Ação e Reação e dos imperativos da Lei Maior, no sentido de que devemos evoluir sempre, por parte do "doente", ajuda muito ao portador do TB no tratamento. Mas o próprios psiquiatras ainda não estão seguros disto e ficam enchendo os portadores do TB de remédios ao invés para controlar o humor e os ímpetos, mas sem conscientizá-los. Os remédios são necessários, mas a conscientização é muito mais necessária.
 
Outro fator muito importante, que geralmente agrava o quadro  é a falta de ocupação com alguma atividade ou trabalho por parte do portador do TB. As pessoas muito ocupadas não tem tempo de adoecer, pelo menos com o TB. Na medida em que vamos ficando ociosos as doenças vão aparecendo. E para quem tem mediunidade mais acentuada, a situação fica ainda pior.
 
Na verdade as doenças como o TB são "recados" da Lei de Causa e Efeito de que não devemos ficar muito tempo sem o que fazer.
 
Enviar um comentário